Planeta Home

Rakuten

domingo, 5 de março de 2017

Planeta no Cinema Marvel: A bilheteria de estreia de Logan e as decisões tomadas para ele ser um sucesso com censura máxima

É verdade que o ano mal começou e muita coisa gigante ainda vem aí pela frente. Mas podemos dizer já que Logan começa bem e já é a primeira grande bilheteria de estreia do ano. Mesmo não sendo mais do que Deadpool ano passado, o filme de Hugh Jackman como Carcaju já conquistou 237, 8 milhões mundo a fora, sendo 85,3 milhões só nos EUA e uns avantajados 152.5 milhões nos demais países. Tudo isso em apenas 3 dias.



Um dos roteiristas do filme deu uma entrevista ontem e falou sobre a importância do sucesso graças a liberdade de não ter nenhuma censura no filme. Scott Frank disse que  "Mangold comentava que 'não precisávamos ficar vendendo McLanches Felizes' e isso foi ótimo". Ele comentou sobre os erros e acertos o seu roteiro anterior em The Wolverine. "Gostava da parte com aquela mulher e dele sendo um humano e tendo sentimentos de como é ser um homem qualquer. Mas não ficamos muito tempo naquilo e aí veio os robôs gigantes e aquelas coisas. E daí se tornou outro filme de super-heróis. cheio de CG e essas coisas. A única maneira desses filmes terem um valor é se eles forem algo mais. Eles não podem ser só sobre salvar o mundo" disse.

Já seu colega de roteiro, Michael Green, falou com o The Hollywood Reporter sobre porque decidiu cortar uma das cenas mais intrigantes do filme que revelaria o que aconteceu em Westchester e deixou o Professor Xavier naquele estado.  "Na verdade acaba ficando do jeito que está algo mais pesado do que aquilo que pensamos especificamente para o flashback. É claro que haviam versões que escrevemos que nunca foram filmadas com o flashback do que aconteceu, mas eu percebi que a experiência de assistir era muito menos impactante do que apenas saber o que era aquilo que realmente aconteceu e era realmente pesaroso e era horrível e coisa do tipo, se foram amigos que foram perdidos ou simplesmente pessoas que não conhecemos" colocou.

O diretor também complementou o que os dois roteiristas disseram ao comentar que seu filme é muito mais focado nos personagens do que na história em si. "Queríamos fazer um filme menos sobre a informação e mais sobre os personagens em si" disse. De fato, é um filme com outro ritmo completamente diferente do que estávamos acostumados no modelo de super-heróis Talvez, nem devêssemos classificá-lo como tal.


Fonte: Universo Marvel 616