Planeta Home

Rakuten

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Planeta Comenta Marvel: Demolidor #1-8 (1998)

Li Demolidor #1-8, do encadernado Daredevil: Guardian Devil, com roteiro de Kevin Smith desenhos de Joe Quesada, e tecerei breves comentários sobre as edições.

Edição #1: Karen Page decide aceitar um convite para trabalhar num programa de TV em L.A. Seis meses se passam, e Matt ainda está ressentido de sua partida. Porém, um novo caso exige total atenção do Demolidor. Gwyneth, uma jovem mãe solteira, diz que seu bebê foi concebido milagrosamente, e que, como o Salvador da humanidade, precisa de cuidados que somente o Demolidor pode prover. Durante essa edição é possível perceber uma homenagem ao filme Gênio Indomável, dirigida pelo próprio Kevin Smith.

Edição #2: Com a guarda do bebê, Matt precisa descobrir a origem da criança e sua mãe, mas recebe uma visita surpreendente em seu escritório. Nicholas Macabes, diz representar uma organização secreta – Sheol – que entre outras coisas, seria a responsável pela criação dos super-heróis. Ele afirma que o bebê é o anticristo mencionado no livro bíblico do Apocalipse e dá 48 horas de prazo para que Matt entregue a criança para que eles possam dar cabo dela, criando um terrível conflito interno em Matt. E como se as coisas não pudessem piorar, Karen retornar e diz que tem AIDS.

Edição #3: Foggy é preso por homicídio doloso suspeito de matar uma cliente com que ele estava tendo um caso. Nicholas Macabes visita Karen e a convence de que sua atual doença é uma das consequências de Matt estar cuidado da criança, que é o arauto do fim do mundo e que ela deve ser morta.

Edição #4: Natasha Romanov, a Viúva Negra estava com a bebê, mas o Demolidor a arranca de deus braços a fim de acabar logo com sai vida. Porém, no instante final, sua consciência o desperta. Completamente sem rumo, Matt procura ajuda de sua mãe, a irmã Maggie. Matt descobre que Macabes visitou Karen e contou sobre a criança para ela. E os primeiros indícios sobre quem é o vilão responsável por trás dessa trama.

Edição #5: O Demolidor pede ajuda ao Dr. Estranho, que não descobre nada místico envolvendo a bebê, mas encontra vestígios de toxinas que criavam ilusões conspiratórias em Matt. Eles recorrem à Mefisto que de certa forma, ajuda Matt a descobrir porque a criança não pode ser o anticristo. Enquanto isso, o mercenário, contratado pelo misterioso vilão, ataca a igreja e a mãe de Matt. Chegando lá, uma dramática sequência envolvendo o Demolidor derrotado, um ensandecido Mercenário, Karen, a bebê e Maggie e um desfecho surpreendente. Outros indícios sobre o misterioso vilão.

Edição #6: Sem consolo pela morte de Karen, o Demolidor vai à caça do mercenário, mas dscobre que ele saiu da cidade. Então, parte em busca de seu contratante, Nicholas Macabes e da criança que foi levada pelo Mercenário. E finalmente, o responsável por toda a ruína causada na vida do Homem Sem Medo.

Edição #7: Depois da descoberta da identidade do verdadeiro vilão, é hora de saber os motivos que o levaram a esse fatídico momento climático.
Edição #8: O funeral de Karen e Matt descobre uma apólice de seguros deixada por ela, além de uma carta esclarecedora e apaixonada. Foggy é inocentado e solto. Breves conversas com o Homem-Aranha e a Viúva Negra, dão à Matt o incentivo necessário para continuar.

Sem Seu grande amor Karen Page que o abandonou uma vez mais, o Demolidor se vê em meio a uma trama envolvendo o fim do mundo e o questionamento de sua fé. O que parecia mais um dia normal, o Homem Sem Medo se depara com um bebê que pode ser o anticristo. Macabes que diz representar uma organização secreta que luta pelo bem da humanidade pede que Matt entregue o bebê para que possam matá-lo e evitar o fim do mundo. O que fará o defensor de Hell’s  Kitchen?

Uma trama no melhor estilo cinematográfico com diálogos afiados, suspense, drama e uma boa dose de ação. É impossível ficar passivo ao ver como Matt acaba se deixando levar pelos planos de seu misterioso adversário, à medida em que nós mesmos tentamos entender e solucionar o caso. Kevin Smith explora a fundo o lado humano de Matt Murdock sem deixar de lado a faceta justiceira do Demolidor. Quando li pela primeira vez, lembro fiquei um pouco decepcionado com a solução do caso, mas dessa vez, pude entender um pouco melhor como as coisas foram sendo amarradas, mas principalmente, independente disso, o objetivo do escritor que foi, em última análise, prestar uma grande homenagem ao herói e ao homem. Leitura imperdível.


Por Roger