Planeta Home

Rakuten

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Comentário do Planeta Marvel: Viúva Negra #2 (Editora Panini)

Leia o comentário do Planeta sobre Viúva Negra #2, formato americano, 140 páginas, lombada quadrada, R$ 21,00, lançado em setembro de 2017 pela Editora Panini.


Comentário:
Black Widow #7: Seguindo uma pista até a Groenlândia, a Viúva Negra, contando com os poderes psíquicos do Leão Choroso, vai atrás da Diretora e sua filha, a Reclusa, que agora lidera a Sala Sombria. Mas eles chegam um pouco tarde, pois suas agentes já foram embora. Além disso, é revelado o motivo do ódio por trás das ações do Leão Choroso contra a Viúva Negra.

Black Widow #8: A próxima parada é em Washington DC. Uma das garotas treinadas no Quarto Sombrio foi designada para matar o Vice-Presidente dos EUA e se infiltra com uma turma escolar que está participando de uma excursão à Casa Branca. Natasha e o Leão Choroso já estão no local, mas ainda precisam descobrir quem é a agente disfarçada.

Black Widow #9: Bucky Barnes estava vigiando de longe a Viúva Negra, como uma espécie de anjo da guarda. Mas, acabou sendo capturado por Reclusa. Mesmo formando uma dupla quase imbatível, enfrentar a Reclusa não será uma tarefa fácil.

Black Widow #10: Soldado Invernal, Viúva Negra e Leão Choroso rumam até a Área Azul da Lua para pedir informações à Nick Fury (agora o Não Visto, após os acontecimentos da saga Pecado Original) sobre o paradeiro das demais meninas que estavam sendo treinadas na Sala Sombria. O que Nat e Bucky não desconfiam é que o Leão Choroso está planejando um ataque traiçoeiro.

Black Widow #11: Reclusa localiza e liberta suas outras jovens alunas, prisioneiras do Leão Choroso. A próxima missão da Viúva Negra é impedir que as agentes de Reclusa consigam destruir dados importantes da SHIELD em uma instalação isolada na Antártida.

Black Widow #12: Nas garras da Reclusa (agora, a nova Diretora), a Viúva Negra só tem uma chance de deter as meninas da Sala Sombria de ativar a trava de segurança da SHIELD – matando uma delas.

Mark Waid e Chris Samnee encerram suas contribuições nesse título mensal da Viúva Negra fechando as pontas soltas preparadas desde a edição #1. É interessante que praticamente todas as séries da espiã russa são baseadas em seu passado como assassina e seu treinamento na Sala Vermelha. Dessa vez não foi diferente. Não significa que a história foi ruim, manteve o bom nível de Waid. Para quem não se importa em acompanhar mais um pouco do passado já bem explorado de Natasha Romanoff, é uma boa leitura.


Por Roger