quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Planeta MEGABLOG Clássicos: Justiceiro – Círculo de Sangue (1986) [ATUALIZADO]

(ATUALIZADOEsse arco foi lançado pela coleção Os Maiores Heróis da Marvel pela Editora Salvat, edição #24, R$ 36,99.



Depois de alguns aparecimentos esporádicos nas histórias do Homem-Aranha e da boa receptividade, chegou a hora do Justiceiro ganhar sua primeira minissérie solo em cinco partes, escrito por Steven Grant e desenhado por Mike Zeck e Jo Duffy.


Frank Castle está de volta à prisão da Ilha Ryker, mas dessa vez, para descobrir quem o envenenou e o torturou da última vez que esteve ali. Ele descobre o responsável, o vilão Retalho, que estava trabalhando para Don Cervello, o chefão que dominava toda a prisão. Cervello planejou uma fuga em massa da prisão, mas o plano foi frustrado por Castle, que recebe a oportunidade de voltar à ativa como o Justiceiro e acabar com o crime organizado, mas sob uma condição – ele teria de trabalhar para o Cartel, uma organização clandestina formada por várias pessoas de círculos sociais diferentes com o único objetivo de resolver as falhas da lei.

Um dos primeiros planos foi simular a morte de Wilson Fisk e dar início a uma guerra de gangues do crime organizado. Porém, o plano não dá certo e muitas pessoas inocentes são vítimas do fogo cruzado.

Castle tenta um cessa fogo entre as gangues para parar com a perda de inocentes, mas acaba descobrindo um intrincado jogo de traição elaborado pelo próprio Cartel. A organização queria que o Justiceiro se juntasse a eles, mas Castle estava relutante, e acabou caindo em sua armadilha para atraí-lo.

Castle descobre a trama do cartel liderado por um suposto aliado – Alaric e sua namorada, Ângela, que também traiu Frank. O Justiceiro descobre e invade o QG do Cartel para deter Alaric e acabar com essa organização obscura.


Uma estreia sensacional num título solo do Justiceiro. Um verdadeiro roteiro que tem tudo para dar certo num filme, ou até seriado do anti-herói. Aqui vemos o Justiceiro registrando todas as suas missões em seu famoso Diário de Guerra, e também um atormentado e indeciso Frank Castle que contrasta com o determinado e frio matador de criminosos. Numa certa hora ele chega a se indagar o que deve fazer para parar com o crime, já que conforme ele mesmo pensa: “Um guerra que nunca vou vencer. Um chefão do crime morre, outro toma o seu lugar. Nada muda. Nada”. Uma clara alusão ao título do arco – Círculo de Sangue.

Aliás, o título é repetidas vezes relacionado a algum momento da história pelo próprio Justiceiro e isso fica bem claro na cena final, quando Tony Massera, filho de um ex-mafioso que foi morto por Castle tenta vingar a morte de seu pai, embora ele realmente não desejasse fazer isso, apenas queria levar uma vida em paz e longe do crime e da violência – um círculo de sangue que parece nunca ter fim.

Vale a pena citar a primeira edição que é dedicada exclusivamente à fuga da prisão, que foi retratada de forma primorosa, com várias reviravoltas e muita ação.


Os desenhos de Mike Zeck são de um realismo que destaca principalmente as cenas de luta e as reações dos personagens. Pena que ele foi substituído (não sei a razão) por Jo Duffy justamente na última parte do arco.

Um clássico imperdível, uma leitura obrigatória para todos que gostam do Justiceiro, ou até para quem tem apenas curiosidade de conhecer o personagem e não sabe por onde começar.

Por Roger